Conectando Empresas desde 2011

Destaque

Internet brasileira melhorou, mas segue abaixo da média global, diz estudo

Internet brasileira melhorou, mas segue abaixo da média global, diz estudo

Mesmo com avanços consideráveis, a velocidade das conexões de internet no Brasil segue abaixo da média. É isso que indica o último estudo "State of the Internet", da Akamai, com dados referentes ao quarto semestre de 2016.

 

Segundo o estudo, a internet brasileira teve, de outubro a dezembro de 2016, uma média de velocidade de 6,4 megabits por segundo (Mbps). Esse resultado representa uma melhoria de 16% com relação à média do trimestre anterior, e de 45% com relação ao mesmo período de 2015. Ainda assim, ele coloca o Brasil na 85ª posição no ranking mundial (no ano passado, estávamos em 88º) e abaixo da média mundial, de 7 Mbps.

 

Apesar disso, o ritmo de melhoria das conexões brasileiras impressiona. Um indicador que evidencia isso é o de porcentagem de conexões acima de 4 Mbps. No último trimestre de 2016, 59% das conexões brasileiras superavam essa velocidade média. O índice aumentou 13% em relação ao semestre anterior e 52% na comparação com o quarto trimestre de 2015.

 

Crescimento nas pontas

 

Já o ritmo de adoção de redes mais rápidas cresceu drasticamente. O número de conexões acima de 10 Mpbs cresceu 55% em um trimestre e 452% em um ano, mas segue em 16% do total; nas conexões acima de 15 Mbps, o resultado foi semelhante: aumento de 74% em um trimestre e 537% em um ano, embora ainda apenas 5% das conexões do país superem essa média.

 

Considerando que apesar desse crescimento o Brasil continua abaixo da média, evidencia-se uma situação de desigualdade no acesso à internet no país. Essa situação se repetiu em praticamente todos os países da América Latina; entre os líderes do ranking mundial de conectividade, por outro lado, o aumento nas pontas foi consideravelmente menor, o que faz sentido - já há mais pessoas com acesso a conexões de alta velocidade.

 

Na América Latina, o Brasil ficou na quarta colocação, atrás de Chile, Uruguai e México. Esses três países tiveram médias de conexão de 8,6 Mbps, 8,3 Mbps e 7,6 Mbps, respectivamente, e foram os únicos da região a ter conectividade acima da média.

 

Os líderes

 

Foram Coreia do Sul, Noruega e Suécia os três países com maior média de velocidade de conexão. Eles tiveram velocidades de 26,1 Mbps, 23,6 Mbps e 22,8 Mbps, respectivamente. O curioso dessa situação é que a Coreia do Sul se manteve na liderança mesmo com uma queda de 2,4% em sua velocidade média na comparação com o quarto trimestre de 2015.

 

No total, a velocidade média das conexões do mundo cresceu 12% em relação ao trimestre anterior e 26% em relação ao mesmo período no ano anterior. Isso evidencia também que o ritmo de crescimento da velocidade da internet brasileira foi maior do que a média global.

 

Há, porém, um indicador no qual o Brasil ocupou o pódio: o Brasil é o terceiro país com mais endereços de IP únicos, com mais de 47 milhões, atrás apenas de EUA e China. O fato de que o país tem tantas conexões mas segue abaixo da média global evidencia a necessidade de continuar investindo nesse setor.


Materia: OlharDigital

[VOLTAR]

Cadastre-se e receba nossos informativos

FALE CONOSCO

Matriz: Fortaleza/CE
Al das Angélicas, 300 sl 202
CId 2000 | CEP: 60.190-100
+55 (85) 3044.0800 | 98784.4529 oi
+55 85 99688.9402 tim/whatsapp
contato@northidigital.com.br